Total de visualizações de página

Pesquisar este blog

Follow by Email

Seguidores

VAMOS TREINAR?

Instagram

Translate

terça-feira, 17 de maio de 2016

FADIGA ADRENAL ou FALÊNCIA DAS GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS X SINTOMAS X FADIGA

Situações de estresse podem levar a um aumento do hormônio cortisol. Quando se encontra em um nível normal, esse hormônio prepara nosso organismo para enfrentar situações de perigo, já que mantem sob controle a pressão arterial e diminui a queima calórica, poupando energia em caso de risco. O ruim é que o organismo não sabe diferenciar uma situação de risco real, de uma imaginária, e libera o cortisol. Se situações de estresse são constantes, ocorre uma hiperestimulação da produção do hormônio.






FADIGA ADRENAL clinica higashi.jpg

FADIGA ADRENAL/FALÊNCIA DAS SUPRA-RENAIS E SEUS SINTOMAS


Você vai dormir mais cedo, mas acorda cansado mesmo assim. Tira uma folga na segunda-feira para prolongar o fim de semana e quando volta do passeio parece que nem saiu. São sensações características do mau funcionamento da glândula supra-renal. Descoberta há cerca de 10 anos, a fadiga adrenal é considerada a síndrome do século XXI.

O cardiologista Marcos Antônio Natividade, pós-graduado em terapia ortomolecular e mestre em fisiologia do envelhecimento, explica que a supra-renal é a primeira glândula a ser atingida pelo estresse. Ela é responsável por defender o corpo de traumas físicos, incluindo frio, calor e fome.

— Quando a glândula supra-renal está funcionando mal e não está secretando os hormônios que deveria, além do cansaço excessivo, ocorrem infecções e gripes freqüentes, ansiedade, irritabilidade, alterações do sono, baixa libido e ereções não mantidas, tonturas, baixa concentração e memória, apatia, compulsão por doces, salgados, cafeinados e frituras, depressão e medo sem causa aparente — enumera o médico. 

Ainda pouco conhecida, a fadiga adrenal, muitas vezes, é confundida com depressão, pânico, fibromialgia, labirintite, anemia ou palpitações. De acordo com Natividade, quando diagnosticada a disfunção, deve ser feita uma reposição com hormônios biodênticos, que são iguais aos secretados pela glândula supra-renal. Se não tratado, o problema pode desencadear doenças como obesidade, diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e osteoporose.

Excesso de trabalho, má alimentação, sedentarismo e aborrecimentos são causas que podem induzir à fadiga adrenal. A prevenção está na já conhecida fórmula alimentação saudável aliada a exercícios físicos, além de reservar momentos para o descanso.

— Comer castanhas, verduras, frutas, alimentos integrais e peixes, fazer atividade física três vezes por semana, descansar no mínimo dois finais de semana por mês e tirar 30 dias de férias por ano. Isso é fundamental para se viver com saúde e bem-estar — recomenda o especialista.

FADIGA ADRENAL: UM PROBLEMA MUITO FREQUENTE NO MUNDO MODERNO, MAS POUCO DIAGNOSTICADO 

"Sinto um cansaço insuportável...", "não tenho ânimo de nada!", "perdi a garra de executar trabalhos rotineiros!". Essas são as queixas mais freqüentes que se escuta em qualquer lugar e a todo o momento, caracterizando a possibilidade de Fadiga Adrenal.

Mas, afinal o que significa fadiga?

É por que provoca tantos sintomas e conseqüentemente tantas queixas? A glândula Supra-renal é quem comanda a ação e o movimento do nosso organismo secretando vários hormônios esteróides. O mais importante é o cortiso.
A falência desta glândula provoca sintoma de fadiga e outros relacionados intimamente à repetição do estresse, que acaba se transformando em um estado crônico.
O estado de estresse crônico em sua fase mais avançada ocorre devido a falência parcial da glândula supra-renal, o que provoca a diminuição gradativa do cortisol.
A secreção das glândulas hormonais de maneira geral obedece ao mecanismo de retroalimentação negativa, sistema de "feed back", é através deste sistema que o nível hormonal se equilibra no organismo biológico. O mecanismo desta homeostase hormonal pode danificar com estado de estresse crônico.
É equívoco pensar que as glândulas não respeitam a teoria de desgaste da matéria. Por exemplo, um pensamento representado pela sabedoria oriental pode dizer que: Quem se intitula o "garanhão" no presente, tem grande chance, no futuro, ser candidato a impotente!
Homens e mulheres que abusam do seu organismo no auge da vitalidade, não poupam sua energia vital ou também não limitam seu estresse diário, independente do grupo etário, da classe social e étnica a qual pertençam, podem manifestar a Fadiga Adrenal. 
Este tipo de fadiga, que ocorre devido à queda de cortisol, provoca um grande impacto na qualidade de vida da pessoa, e o aumento da velocidade do seu envelhecimento humano. 
Ocasiona, igualmente, uma quebra no equilíbrio da homeostase da fisiologia do organismo o que acaba afetando uma multiplicidade de órgãos e sistemas, e pode provocar até a morte.

A fadiga adrenal afeta de forma pandêmica a atual civilização, em razão de vários fatores que agregam aos estressores, tais como poluentes químicos, radiações, toxinas de fungos, bactérias, parasitas e vírus e outras ameaças. Tudo isso, dificulta a atividade humana, impedindo, inclusive, que as pessoas continuem produtivas sob o ponto de vista social e econômico. 
A deficiência de cortisol manifesta se comprometendo as relações humanas, afetando comportamento psíquico, dificultando administração de sua própria vida diária. 
A pessoa, antes harmônica, torna-se cada dia mais distraída, confusa, presa a situação crônica de estresse. A cada dia que se passa, manifesta maior irritabilidade, e uma visão negativa da vida; sente-se vitima até mesmo com reações paranóides, torna se acusadora, briguenta, ataca os demais com palavras duras, com uma retórica afiada, como se estiver "os nervos à flor da pele".

Sinais e sintomas de fadiga adrenal: 

Cansaço entre 9-10 horas da manhã, mas resiste em ir para a cama
Necessita de café ou estimulantes para começar o trabalho pela manhã
Ânsia por salgados, gordura e alimentos com alta proteína, como carne e queijo
Aumento dos sintomas da TPM nas mulheres; e menstruação mais intensa 
Dor na parte superior das costas ou no pescoço, sem razão aparente
Sente-se muito melhor quando o estresse é aliviado, como em período de férias prolongado. 
Dificuldades em acordar pela manhã
Episódios recorrentes de confusão mental associado a tonteira
Tendência a ganhar peso e não perdê-lo, especialmente em torno da cintura 
A alta freqüência de contrair a gripe e outras doenças respiratórias e os sintomas tendem a durar mais do que usual.
Tendência a tremer quando esta sob stress e pressão. 
Redução do desejo sexual. 
Tonturas ao levantar de uma posição horizontal. 
Tendência a pressão baixa 
Falta de energia no período da manhã e à tarde, entre 3 a 5 horas. 
Sente-se melhor, por um breve período, depois de uma refeição. 
Aparecimento de lesões alérgicas e auto-imunes na pele como eczemas, urticária, psoríase e etc.
Taquicardia sem causa aparente

Obs.: 

  • o diagnóstico de Fadiga Adrenal somente é realizado por médico após correlação clínica e laboratorial e exclusão de outras patologias. 
  • Os estressores de maior grandeza que provocam a Fadiga Adrenal estão relacionados com a sobrevivência humanos, ao sentimento de ameaça à própria vida e também aos familiares, á separação conjugal e à perda de entes queridos, e à possibilidade de ficar sem empregos etc.
  • A Fadiga Adrenal está associada ainda as várias moléstias crônicas, principalmente enfermidades pulmonares crônicas, doenças auto-imunes, eczemas e outras doenças crônicas da pele. Incluem se ainda outras situações que provocam Fadiga Adrenal, as queimaduras graves, quimioterapia e radioterapia etc.
Sem dúvida, podemos qualificar a Fadiga Adrenal como uma das doenças funcionais que mais afeta a qualidade de vida de uma pessoa na atual civilização e lamentavelmente, sua fisiopatologia ainda não e bem divulgada e nem investigada pela medicina ortodoxa e assim não tem sido investigada ou tratada, porém, há décadas um grupo de cientistas pesquisadores em área de Ortomolecular e Nutrológica têm publicado e divulgado amplamente em congressos e revistas científicas e leigas, assuntos relacionados com a Fadiga adrenal. Quando esta deficiência é diagnosticada e tratada adequadamente, a pessoa se beneficia como se fosse premiada com a "loteria de saúde", porque repor cortisona bioidêntica resgata a qualidade de vida e a vitalidade perdida, como se a pessoa renascesse para a plenitude de outrora. 

REFERENCIAS 
Dr. Tsutomu Higashi - médico ortomolecular e nutrólogo, é membro da equipe e diretor médico da Clínica Higashi e Centro Médico Athenas localizado em Londrina e Rio de Janeiro. Telefone: (21) 34398999 (Rio de Janeiro) ou (43) 33238744 (Londrina).
http://www.ortomoleculardrhigashi.med.br/not%C3%ADcias/55/fadiga-adrenal-um-problema-muito-frequente-no-mundo-moderno-mas-pouco-diagnosticado

Nenhum comentário:

CAUCULE SEU IMC-Clique na imagem!

CAUCULE SEU IMC-Clique na imagem!
Índice De Massa Corpórea

Projeto social comunitário, com foco no esporte social!...-CLIQUE NA IMAGEM E CONHEÇA ESSE PROJETO!

Projeto social comunitário, com foco no esporte social!...-CLIQUE NA IMAGEM E CONHEÇA ESSE PROJETO!
FUTEBOL E CIDADANIIA...AJUDEM!

SALVE O PLANETA

SALVE O PLANETA
Preserve o meio-ambiente!...Clique na Imagem!